Winnicott - A Teoria do Amadurecimento - Parte X

Winnicott - A Teoria do Amadurecimento - Parte X

  • 656 Alunos matriculados
  • 32 Minutos de duração
  • 1 Aulas
  • 1 Módulos
  • 1 Avaliação
  • Certificado de conclusão
ASSINE JÁ

Obtenha acesso a este e outros cursos

Contato para Supervisão e Atendimento OnLine: 14-9.9772.3707
Guilherme Magnoler Guedes de Azevedo

Aula em vídeo de 32 minutos. 

Caracterização adicional do ambiente facilitador: a mãe suficientemente boa e o pai do bebê.

  • O ambiente facilitador e a mãe suficientemente boa.
  • A importância da identificação da mãe com o bebê.
  • O perigo da mãe "perfeita".
  • O bebê precisa de uma mãe real, confiável e falível.
  • De início, a adaptação da mãe tem que ser absoluta. 
  • A adaptação é a necessidade e não aos desejos.
  •  De início o bebê tem necessidades e não desejos.
  • A importância do apoio ao Ego.
  • A necessidade primária é a continuidade do ser.
  • De início a devoção da mãe deve ser absoluta. 
  • A “preocupação materna primária” como condição psicológica especial e que se inicia nos meses de gravidez.
  • A mãe suficientemente boa é devotada ao bebê.
  • Não se trata de um sentimentalismo. Pois esse exclui o ódio e a agressividade que fazem parte do ato de cuidar de um filho.
  • O amor da mãe suficientemente boa não é indulgente.
  • Também não depende da inteligência da mãe. Não está, também, no conhecimento adquirido em livros e palestras.
  • A dificuldade de algumas mulheres em atingir a preocupação materna primária. 
  • A mãe mecânica.
  • A desadaptação absoluta.
  • Ser suficientemente boa não é perfeita. A criança não tira o menor proveito da perfeição mecânica.
  • A aceitação do ódio da própria mãe.
  • As canções de ninar como manifestação sublimada do ódio.
  • O papel do pai na relação mãe bebê.
  • Os pais devem oferecer apoio moral e segurança, que de início só chega ao bebê indiretamente. 
  • Do ponto de vista do bebê o contato direto com o pai vem depois.
  • É o pai, também que ajuda a saída da mãe da devoção absoluta.


Psicólogos, pais, educadores, etc.

Guilherme Magnoler Guedes de Azevedo
"Contato para Supervisão e Atendimento OnLine: 14-9.9772.3707"

   

Guilherme Magnoler Guedes de Azevedo CRP 06/70116 Psicólogo. Psicanalista Membro Filiado da Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo SBPSP. Mestre em Psicologia do Desenvolvimento e Aprendizagem pela UNESP Bauru. Fundador e docente do Instituto de Estudos Psicanalíticos de Bauru. Fundador da Livraria do Psicanalista. Curador do Projeto de Ensino a Distância da Livraria do Psicanalista. Autor do Livro “Vínculo mãe-bebê e conflitos edípicos em crianças com Psoríase – um estudo de Psicossomática Psicanalítica, publicado pela Editora Zagodoni. Coordenador do Curso de Formação em Psicoterapia Psicanalítica do Instituto de Estudos Psicanalíticos de Bauru.


Nenhuma descrição cadastrada.

Conteúdo Programático

  • 1. A mãe suficientemente boa e o pai do bebê
  • a mãe suficientemente boa e o pai
Voltar ao topo