Paciente Piorou quando devia melhorar - Reação Terapêutica Negativa

Baseado em 10 avaliações
  • 662 Alunos matriculados
  • 02 Horas de duração
  • 2 Aulas
  • 1 Módulos
  • 1 Avaliação
  • Certificado de conclusão
ASSINE JÁ

Obtenha acesso a este e outros cursos

"Ótimo conteúdo :)"
Michele S Oliveira
mais avaliações

Aula em vídeo de 2h13 minutos. Acompanha roteiro de aula para ser baixado em formado Word.

Assista em seu computador, Tablet ou Smartphone, onde e quando quiser. A partir do momento da compra você tem 1 ano para assistir esta aula.

Bibliografia

Fundamentos da Técnica Psicanalítica

Reação terapêutica negativa e sentimento de culpa

  • Entre as possíveis estratégias do ego para evitar a angústia depressiva, três se destacam. São elas: O acting out; a Reação Terapêutica negativa (RTN) e a Reversão de Perspectiva.

  • Na presente aula, estudaremos a R. T. N.

  • A reação terapêutica negativa se caracteriza por uma piora paradoxal no estado do paciente. Em outras palavras, o paciente piora quando devia melhorar.

  • Por que alguns pacientes não aceitam, não gostam de escutar palavras que se referem ao seu progresso, ou que lhe servem de algum modo para lhes incentivar?

  • Qual a relação da R.T.N. e o superego?

  • Qual a relação da R.T.N. e o sentimento de culpa?

  • Qual a relação da R.T.N. e o masoquismo do ego?

  • Qual a relação da R.T.N. e o instinto de morte?

  • Qual a relação da R.T.N. e o sucesso da análise?

  • Qual a relação da R.T.N. e o narcisismo?

  • Qual a relação da R.T.N. e a inveja?

  • R.T.N. e posição depressiva.

  • A finalidade da R.T.N. é negar a catástrofe depressiva.

  • R.T.N. em Freud, Abraham, Joan Riviere, Karen Horney e Melanie Klein.

    O ataque invejoso oculto na R.T.N.

  • A relação da R.T.N. com o insight, a elaboração, a reversão de perspectiva e o acting out.

  • As consequências das defesas maníacas e dos ataques maníacos para a manutenção da R.T.N.

  • R.T.N. e sua relação com os processos traumáticos de separações e rupturas.

  • R.T.N.  e transferência negativa

Manejo clínico

A crítica invejosa

  • Como lidar com a crítica invejosa?

  • Devemos interpretar a inveja diretamente?

  • O que interpretar?

  • A importância de não adentrar o ciclo de rivalidade e como não fazer isso.

  • O ponto central não é a interpretação, mas suportar os ataques invejosos.

  • A relação entre R.T.N.  e dependência e como isso afeta a clínica.

  • A RTN pode passar despercebida; é preciso atenção para detectá-la.

  • Segundo Klein, a crítica de um paciente a uma interpretação que lhe trouxe auxílio, ainda que faça sentido, tem elementos de RTN.

  • Como lidar com as seguintes manifestações da R.T.N. ? O paciente reconhece o alívio e é evidente que teve um insight, e em seguida ele:

    • lamenta que o analista não tenha dito isso antes;

    • ou reclama da forma como foi dito;

    • ou acrescenta algo que acredita que o analista deveria ter visto;

    • ou finge que não escuta e depois apresenta a solução como se fosse sua.

  • Tudo isso é fruto da RTN e da inveja.

  • Quais são os dois perigos diante de uma crítica do paciente?

    A confusão como indicador de R.T.N. .

  • O analista tem que ter muito cuidado, pois a teoria da inveja pode levar o analista a negar suas falhas.

  • O que caracteriza a R. T. N. é o fato de ela ser um fenômeno paradoxal. O paciente piora após uma melhora; destruindo, assim, o ganho.

  • Existe outro fenômeno paradoxal, mas contrário. Esse fenômeno poderia ser chamado de “reação iatrogênica positiva”. O que é isso e como lidar com ele?

Psicólogos.

Guilherme Magnoler Guedes de Azevedo
"Psicólogo CRP 06/70116.. Sócio e fundador da Livraria do Psicanalista e do Instituto de Estudos Psicanalíticos de Bauru. "

   

Psicólogo CRP 06/70116. Sócio e fundador da Livraria do Psicanalista e do Instituto de Estudos Psicanalíticos de Bauru. Mestre em Psicologia do Desenvolvimento e Saúde UNESP - Bauru. Psicólogo Clínico.

Confira algumas dúvidas mais comuns sobre a emissão e validade do certificado: 

- Meu certificado emitido através deste site tem validação do MEC? 

Os cursos autorizados pelo MEC são de Graduação e Pós-Graduação e as Secretárias Estaduais de Edução autorizam cursos técnicos profissionalizantes e do ensino médio. Cursos online são classificados, por lei, como cursos livres de atualização ou qualificação, ou seja, não se qualifica como graduação, pós-graduação ou técnico profissionalizante. 

Os Cursos Livres, passaram a integrar a Educação Profissional, como Nível Básico após a Lei nº 9.394 - Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Essa é uma modalidade de educação não-formal com duração variável, a fim de proporcionar conhecimentos que permitam atualizar-se para o trabalho, sem exigências de escolaridade anterior. 

Educação é um direito de todos e é um incentivo a sociedade, previsto por lei na Constituição Federal. É com essa base que trabalhamos, incentivando a educação. Os cursos livres e os certificados tem validade para fins curriculares e certificações de atualização ou aperfeiçoamento, não sendo válido como técnico, graduação ou pós-graduação. 

- Meu certificado é aceito pelo CREA, CRC e CRM? 

Conforme citado acima, nossos cursos são de nível básico e livre, ou seja, servem para atualização e qualificação. Todos esses órgãos são de nível superior.

(Fontes: Secretaria de Educação de São Paulo e ABED)

Conteúdo Programático

  • 1. Reação Terapêutica Negativa Parte Teórica
  • 2. Reação Terapêutica Negativa Parte Clínica
  • Paciente Piorou quando devia melhorar - Reação Terapêutica Negativa
Voltar ao topo