Psicopatologia Psicanalítica na Atualidade

Psicopatologia Psicanalítica na Atualidade

Baseado em 4 avaliações
  • 665 Alunos matriculados
  • 03 Horas de duração
  • 2 Aulas
  • 1 Módulos
  • 1 Avaliação
  • Certificado de conclusão
ASSINE JÁ

Obtenha acesso a este e outros cursos

"Gostei muito da aula. Muito esclarecedora!"
Iolanda Risso
mais avaliações

Aula em vídeo de 3h05m. Acompanha material para imprimir em PDF.

Assista em seu computador, Tablet ou Smartphone, onde e quando quiser. A partir do momento da compra você tem 1 ano para assistir esta aula.

Psicopatologia Psicanalítica na Atualidade

OBJETIVOS

Caracterizar a perspectiva psicanalítica sobre a psicopatologia e sua localização em relação ao modelo da psiquiatria sindrômica e organicista e ao da atenção psicossocial

Apresentar as balizas fundamentais da psicopatologia psicanalítica, definindo as categorias nosográficas de neurose, psicose, melancolia e perversão em Freud e seus desdobramentos em modelos contemporâneos

CONTEÚDO

Histórico da noção de psicopatologia e sua codificação no campo da medicina

Problematização das dicotomias saúde x doença e somático x psíquico

Modelos sindrômico e da atenção psicossocial e sua articulação nos cuidados à saúde mental hoje

Modelo de psicopatologia em psicanálise: abordagem clínica, histórica e singularizante sobre o desejo do sujeito no contexto da transferência

Modelos interdisciplinares em psicopatologia na atualidade: a proposta da psicopatologia fundamental

Resgate da noção grega de Páthos: paixão, sofrimento e afetação como meio de elaboração e cura

A psicanálise como terceira via necessária entre o modelo sindrômico e o da atenção psicossocial: o resgate da singularidade do sujeito

Níveis de teorização em psicanálise: metapsicologia, teoria do desenvolvimento, psicopatologia e teoria da técnica

Níveis de caracterização em psicopatologia psicanalítica: descritivo ou sintomatológico, dinâmico e estrutural

Articulação entre desenvolvimento psicossexual e estruturas psicopatológicas: fixação e regressão a fases do desenvolvimento a partir da resolução edípica

A polaridade entre neurose e psicose como balizas fundamentais da psicopatologia psicanalítica

A nosografia freudiana: neuroses de transferência, neuroses narcísicas, psicoses e perversões

Variações na psicopatologia psicanalítica contemporânea: os encaminhamentos nas tradições kleiniana e lacaniana e o modelo de Bergeret

A psicopatologia como operador teórico-conceitual na prática psicanalítica: um esquema referencial para balizar a escuta

A importância de hipóteses diagnósticas na avaliação e condução dos casos clínicos

Bibliografia Indicada

Bergeret, J. et. al. (2006). Psicopatologia: teoria e clínica. 9. ed. Porto Alegre: Artmed.

Berlinck, M. T. (2001) Psicopatologia Fundamental. São Paulo: Escuta.

Birman, J. (2001) Mal-estar na atualidade: a psicanálise e as novas formas de subjetivação. 2. Ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

Birman, J. (1991). A constituição da clínica psicanalítica. In J. Birman, Freud e a interpretação psicanalítica. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1991, p. 135-166.

Birman, J. (2006). A psicanálise e a crítica da modernidade. In J. Birman, Arquivos do mal-estar e da resistência. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, p. 33-56.

Magalhães, M. C. R. (Org.) (2001), Psicofarmacologia e psicanálise. São Paulo: Escuta.

Dor, J. (1991). Estruturas e clínica psicanalítica. Rio de Janeiro: Taurus-Timbre.

Fédida, P. (1999) Depressão. São Paulo: Escuta.

Freud, S. (1917). Luto e melancolia. In: Edição Standard Brasileira (ESB). v. XIV.

Freud, S. (1923). Neurose e Psicose. ESB v. XIX.

Freud, S. (1924). A Perda da Realidade na Neurose e na Psicose. ESB v. XIX.

Freud, S. (1927). Fetichismo. ESB v. XIX.

Foucault, M. (1978). História da loucura. São Paulo: Perspectiva.

Laplanche, J.; Pontalis, J.-B. (1998). Vocabulário da psicanálise. (4. ed.). São Paulo: Martins Fontes.

Mezan, R. (2014). O tronco e os ramos: estudos de história da psicanálise. São Paulo: Companhia das Letras.

Violante,  M. L. V. (org.) (2001). O (im)possível diálogo psicanálise e psiquiatria. São Paulo: Via Lettera.

Vaisberg,T. M. J. A.; Machado, M. C. L. M. (1999). Diagnóstico estrutural de personalidade em psicopatologia psicanalítica. Psicologia USP 11(1): 29-48.

Psicólogos

Erico Bruno Viana Campos
"Psicólogo pela Universidade de São Paulo (2002), Mestre (2004) e doutor (2009) em Psicologia pela Universidade de São Paulo."


Psicólogo pela Universidade de São Paulo (2002), Mestre (2004) e doutor (2009) em Psicologia pela Universidade de São Paulo. Professor universitário e psicoterapeuta de orientação psicanalítica. Atualmente é professor assistente doutor do departamento de Psicologia da Faculdade de Ciências da UNESP Bauru, onde desenvolve atividades de ensino, pesquisa e extensão, em nível de graduação e pós-graduação, sendo líder do grupo de pesquisa do CNPq "Psicanálise: Clínica, Teoria e Cultura", coordenador do Núcleo de Estudos, Extensão e Pesquisas em Psicanálise (NEEPPSICA) e orientador no programa de pós-graduação em Psicologia do Desenvolvimento e da Aprendizagem. Tem experiência na área de Psicologia e Psicanálise, com ênfase em História, Teorias e Sistemas em Psicologia e Teorias Psicanalíticas, atuando principalmente nos seguintes temas: psicanálise (metapsicologia, teoria do desenvolvimento, psicopatologia e teoria da técnica), fenomenologia e existencialismo, fundamentos epistemológicos e históricos da psicologia, metodologia de pesquisa, psicologia do desenvolvimento e saúde mental.


Confira algumas dúvidas mais comuns sobre a emissão e validade do certificado: 

- Meu certificado emitido através deste site tem validação do MEC? 

Os cursos autorizados pelo MEC são de Graduação e Pós-Graduação e as Secretárias Estaduais de Edução autorizam cursos técnicos profissionalizantes e do ensino médio. Cursos online são classificados, por lei, como cursos livres de atualização ou qualificação, ou seja, não se qualifica como graduação, pós-graduação ou técnico profissionalizante. 

Os Cursos Livres, passaram a integrar a Educação Profissional, como Nível Básico após a Lei nº 9.394 - Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Essa é uma modalidade de educação não-formal com duração variável, a fim de proporcionar conhecimentos que permitam atualizar-se para o trabalho, sem exigências de escolaridade anterior. 

Educação é um direito de todos e é um incentivo a sociedade, previsto por lei na Constituição Federal. É com essa base que trabalhamos, incentivando a educação. Os cursos livres e os certificados tem validade para fins curriculares e certificações de atualização ou aperfeiçoamento, não sendo válido como técnico, graduação ou pós-graduação. 

- Meu certificado é aceito pelo CREA, CRC e CRM? 

Conforme citado acima, nossos cursos são de nível básico e livre, ou seja, servem para atualização e qualificação. Todos esses órgãos são de nível superior.

(Fontes: Secretaria de Educação de São Paulo e ABED)

Conteúdo Programático

  • 1. Psicopatologia na Atualidade Parte 1
  • 2. Psicopatologia na Atualidade Parte 2
  • Psicopatologia
Voltar ao topo